John Stones disse que o City está enfrentando a pressão da corrida pelo título da Premier League após nossa vitória por 1 a 0 sobre o Bournemouth, que colocou a equipe de Pep Guardiola um ponto atrás do líder Liverpool.

Foi uma vitória difícil no Vitality Stadium na noite de sábado com Phil Foden marcando o gol do jogo no primeiro tempo.

Erling Haaland se livrou de um zagueiro do Bournemouth antes de disparar um chute forte na direção de Neto, cujo rebote sobrou para Foden converter aos 24 minutos.

Stones ajudou o City a segurar o decidido time do Cherries, que viu as chances de Dominic Solanke e Enes Unal passarem ao lado de Ederson, enquanto o City aumentava nossa invencibilidade para 17 partidas em todas as competições.

E Stones garantiu que o City gosta desta parte da campanha.

“Com a pressão [de uma corrida pelo título entre os três primeiros], crescemos e tenho certeza que as outras equipes também”, disse Stones.

“Para nós, trata-se de focar em nós mesmos. Cada jogo é uma final para nós, vencer, somar três pontos, tirar o máximo que pudermos e passar para o próximo.

“Trata-se de ter um bom desempenho em todos os jogos até o final da temporada.

“Sempre sinto que se tivermos um bom desempenho, conseguiremos algo de bom no jogo. Ganhar e não tomar gols é vital. Jogar contra uma equipe difícil é muito agradável.

“Concentramos toda a nossa energia no que está à nossa frente, continuando focados em nós mesmos e acho que essa é a nossa maior qualidade, permanecer na nossa pista e focar no que podemos fazer”.

O jogador inglês esteve em seu papel híbrido, subindo ao ataque na transição de zagueiro para meio-campista, enquanto o City tentava sobrecarregar a linha defensiva de Andoni Iraola.

E Stones explicou que isso fazia parte do plano de jogo de Pep Guardiola antes do pontapé inicial.

baixe o MAN CITY APP

“Criando sobrecargas e abrindo espaço para os meninos desde o início,” Stones disse à Sky Sports quando questionado sobre o que Guardiola o instruiu a fazer durante toda a partida.

“Hoje fomos mais ao espaço com o Erling e achei que correu muito bem. Sabíamos que tínhamos que arriscar.

“Para mim, tratava-se de tentar encontrar espaço e criar espaço para os outros, desempenhando a função de passar da defesa para o meio-campo. Comigo entrando, entrei algumas vezes no primeiro tempo.

“Criar isso e causar problemas, tentar encontrar espaço é o objetivo principal e o treinador nos ensina isso nos treinos”.