Blues caem depois de um dos jogos mais dramáticos da história do Etihad Stadium

Saber sofrer. Foi isso que pediu Pep Guardiola durante a semana, quando respondia, em coletiva, o que o Manchester City precisava se quisesse avançar na Liga dos Campeões. E o City soube: em um jogo insano, um dos mais incríveis da história do Etihad Stadium, os Blues sofreram, comemoraram, suaram e gritaram. No fim, um espetáculo de futebol com final amargo: a vitória por 4-3 sobre o Tottenham não foi suficiente para avançar às semifinais.

O que aconteceu?

Precisando de um bom resultado depois da derrota fora de casa, o City decidiu atacar com tudo no começo da partida. Com três minutos de jogo, a pressão deu resultado: Sterling recebeu a bola na ala, cortou para o meio e colocou a bola no fundo da rede de Lloris.


                        Sterling comemora gol logo no começo da partida
Sterling comemora gol logo no começo da partida

O Tottenham não se intimidou. E a reação veio rápido: aproveitando as bobeiras da zaga, Son virou a partida em três minutos. Primeiro, com um chute seco após uma bola mal cortada; depois, num chute colocado no ângulo de Ederson.

A loucura dos primeiros minutos não queria dar sinais de diminuir, quando Bernardo Silva recebeu bola de Aguero na direita e bateu. A bola desviou em Rose e enganou Lloris: 2-2 com apenas 11 minutos de bola rolando.

E ficou melhor: aos 21, Sterling mostrou que sua temporada incrível continua. Bernardo tirou um passe de calcanhar da cartola e achou De Bruyne na direita, que cruzou rasteiro. Raz, claro, estava lá pra completar.


                        Bernardo foi um dos grandes motores do City no jogo
Bernardo foi um dos grandes motores do City no jogo

O ritmo do jogo diminuiu, mas a pressão do City continuou até os minutos finais do primeiro tempo.

Se já atacava com tudo na primeira etapa, o time de Guardiola confinou ainda mais os Spurs ao campo de defesa. E quando De Bruyne partiu com tudo e achou Kun Aguero em boa posição pra finalizar, o resultado não tinha como ser outro. Gol do City, que, àquela altura, estava se classificando.

A entrada de Fernandinho deu solidez defensiva, mas o Tottenham ainda estava vivo. E após cobrança de escanteio, Llorente, que havia entrado no primeiro tempo, mostrou o faro de artilheiro. Um desvio com a coxa, validado pelo VAR, matou Ederson e colocou os Spurs com um pé nas semifinais.

Nos minutos finais, a partida virou treinamento de ataque contra defesa. O City perdeu sucessivas chances, até que teve a maior frustração dos 90 minutos. Eriksen errou o recuo, Bernardo passou para Aguero, que entregou para Sterling, que fez explodir o Etihad. Mas durou pouco: uma análise do VAR apontou impedimento. Fim de uma partida insana e da Liga dos Campeões para o City.


                        Em jogo insano, City cai na Liga dos Campeões

Homem do Jogo: Kevin De Bruyne

Mais um jogo incrível do belga, conduzindo o time adiante e coordenando as ações ofensivas.

E agora?

Com a soma dos resultados, o City acabou eliminado da Liga dos Campeões. O sonho de conquistar a maior glória do futebol europeu fica adiado. Foco na Premier League e na FA Cup.

O que vem a seguir?

Depois de 90 minutos loucos contra o Tottenham, o City volta suas atenções para a Premier League. E o adversário do próximo sábado (20) é o mesmo Tottenham, também no Etihad Stadium. Com um jogo a menos que o líder Liverpool, os Blues estão na segunda posição, com 83 pontos.