quote linkedin dugout

Crônica da partida | Season 2017/18

Vídeo Fotogaleria

United United 1
Manchester City New Logo City 2

El general Otamendi

El general Otamendi

Premier League Old Trafford Att:74847 10 de dezembro de 2017 16:30:00

Manchester United

1

Rashford 47'

1 - 2

Manchester City

2

Silva 43'

Otamendi 54'

Árbitro
Michael Oliver
Matchday centre

Manchester United:

  • de Gea
  • Young
  • Valencia
  • Smalling
  • Rojo Lindelöf 45’
  • Lingard Ibrahimovic 76’
  • Martial
  • Rashford
  • Herrera Mata 82’
  • Matic
  • Lukaku
Suplentes não utilizados
McTominay, Romero, Jones, Shaw

Manchester City:

  • Ederson
  • Kompany Gündogan 45’
  • Delph
  • Otamendi
  • Walker
  • Silva
  • Fernandinho
  • De Bruyne
  • Sané Bernardo Silva 88’
  • Gabriel Jesus Mangala 59’
  • Sterling
Suplentes não utilizados
Zinchenko, Bravo, Agüero, Danilo

Recorde de 14 vitórias consecutivas na Premier League com o melhor arranque de temporada de sempre

Pos Equipe PJ DG Pts
1 Manchester City 16 +37 46
2 Manchester United 16 +25 35
3 Chelsea 16 +15 32
4 Liverpool 16 +14 30

Em dia de derby em Manchester e, talvez o mais entusiasmante de toda a Premier League, o Manchester City foi ao Old Trafford defrontar o Manchester United pela 175ª vez na história.

O Manchester City a última equipe a vencer em Old Trafford, em Setembro de 2016 e, a equipe que mais gols (27) fez em casa do United. Muito se esperava dos homens de Guardiola para este duelo. Apesar da história ser favorável ao United, como todo o mundo sabe, o City, tem sido nos últimos anos  uma equipe surpreendente, com recordes batidos em todas as competições. Hoje não seria diferente e os “Citizens” igualaram a marca do Arsenal, com, mais vitórias consecutivas na Premier League. Catorze no total!

O que aconteceu

Numa tarde em que a neve decidiu aparecer em Manchester, todos os olhares da cidade, e do resto do mundo (cerca de 1 bilião de espectadores), estavam em Old Trafford, mais precisamente no grande clássico entre Manchester United e Manchester City. Para além de um grande jogo, tínhamos Guardiola e Mourinho frente a frente pela 20ª vez. O técnico do City já bateu Mourinho por nove vezes, enquanto o treinador português apenas venceu seis dessas partidas, as outras cinco terminaram em empates.

Estatísticas à parte, o City entrou dominante na partida. Como seria de esperar, Guardiola iria entrar atacando e Mourinho defendendo, e esperando a sua oportunidade para contra atacar. Com 10 minutos no relógio, o City já contava com 80% de posse de bola e mais de uma mão cheia de iniciativas de ataque com perigo relevante para a defesa de Mourinho.

Gabriel Jesus e Sterling estiveram frente a frente com David De Gea e, se não fosse a falta de força de seus remates, o City já poderia estar em vantagem. Guardiola não se sentava, nem se cansava de enviar direções para dentro de campo, e lá dentro, a sua equipe era notavelmente superior e não dando chances ao United. Contava-se com uma mão as vezes que o ataque de Mourinho tinha chegado perto de Ederson e, todas elas sem nenhum perigo para a sua baliza.Com 30 minutos de jogo em Old Trafford, a estatística falava por si, 79% de posse de bola para o City, seis remates à baliza e 216 passes; do lado da equipe da casa, só se contavam 69 passes, zero remates à baliza de Ederson e, apenas ganhavam em cortes de bola, com oito no total.

Sané teve o gol nos pés ao minuto 42’, De Gae desviou para escanteio. Na conversão, depois de confusão na área do United, David Silva só teve de encostar no fundo da baliza do goleiro espanhol.  Logo de seguida, já no tempo extra, o United conseguiu chegar à igualdade, depois de Otamendi e Delph falharem por muito pouco o corte de bola, Rashford rematou na frente de Ederson deixando o goleiro brasileiro sem hipóteses de defesa.

O primeiro tempo chegou ao fim em Old Trafford, Guardiola está claramente na frente do 20º encontro com Mourinho, apesar do resultado empatado a uma bola, o City foi espectacularmente superior e, se o United não mudar de estratégia, não conseguirá segurar este resultado por muito tempo.

O segundo tempo começou com mudanças nas duas equipes por lesão, Lindelof por Rojo e Gundogan por Kompany. O United veio muito mais atrevido para o segundo tempo, tanto que, ninguém diria que era a mesma equipe que estava jogando. No lado do City, a intensidade era a mesma, vontade de vencer e um espírito de sacrifício enorme.

Com menos de 10 minutos sobre o segundo tempo, Otamendi encontrou maneira de pôr a sua equipe na frente do marcador. Numa situação muito semelhante à do primeiro gol (escanteio e confusão na área), a bola escapou para o pé direito de Otamendi que estava posicionado na frente de Gea e dessa maneira fez o seu quinto gol da temporada. Logo de seguida Guardiola tirou Gabriel Jesus de campo e entrou Mangala para dar suporte na defesa.

Com meia parte do segundo tempo jogada em Old Trafford, esta partida estava-se encaminhando para umas das melhores exibições do City desta temporada, para além de toda a emoção de um derby, ambas as equipes brilhavam no segundo tempo. Apesar disso, o City contava quase tudo em dobro, desde a posse de bola (70/30) até aos remates (17/7), passado pelos passes concretizados (532/229), havia um lado claramente superior nesta partida.

A 15 minutos do apito final, Ibrahimovic entrou em campo para tentar devolver a igualdade ao United, mas era do lado do City que o espectáculo continuava. Ainda houve um grande oportunidade de gol para o United mas o nosso guardião esteve à altura. Ederson deu tudo nesta jogada e defendeu dois remates a cerca de 1 metro da sua baliza, o goleiro brasileiro foi o grande responsável por o United não fazer mais nenhum gol. O português Bernardo Silva ainda entrou em campo aos 87’, e protagonizou uma jogada que poderia ter dado no terceiro gol para o City. 

Numa tarde marcada pelo 175º derbi de Manchester, o City foi bastante superior durante toda a partida. No primeiro tempo especialmente, com um United reduzido à sua área com 10 jogadores na defesa na maioria das vezes. Muita raça nos jogadores do City nesta 14ª vitória consecutiva na Premier League, uma exibição fantástica com destaque para De Bruyne que orquestrou o ataque do City e para Ederson que das poucas vezes que foi chamado à ação, mostrou porque é que é um dos melhores goleiros da Premier League.

Momento chave

A dupla defesa de Ederson ao minuto 83’ selou a vitória do City e mostrou ao ataque do United que por muita vontade que tivessem de conseguir o empate, o goleiro brasileiro estava lá dando o corpo ao manifesto.

Homem do Jogo

De Bruyne teve uma exibição soberba. Foi o homem responsável pela organização do ataque de Guardiola e mostrou porque tem sido aclamado como um dos melhores meias do mundo.

O que significa? 

O Manchester City continua em primeiro lugar na tabela da Premier League com uns incríveis 46 pontos e com mais 11 pontos, face ao Manchester United em segundo lugar.

O que se segue?

Estamos de volta à Premier League já na próxima quarta frente ao Swansea para a 17ª rodada. Depois, logo de seguida, no sábado, jogamos frente ao Tottenham Spurs.

Notícias da equipe principal

Man United x Man City: Relato da Partida

Notícias da equipe principal

Man United x Man City: Frente a frente

United x City Kun

Domingo há um derby clássico na Premier League, o City vai a Old Trafford jogar frente ao United pela 175ª vez e, em jogos grandes, o frente a frente pode decidir tudo

Frente a frente

Notícias da equipe principal

Man United x Man City: Coletiva de imprensa