Técnico afirma que é cedo para saber o quão séria é a contusão do goleiro brasileiro

O goleiro brasileiro deixou o campo como uma precaução, no intervalo do empate em 1 a 1 com a Atalanta em San Siro. Bravo, seu substituto, acabou expulso - e Kyle Walker saiu do banco para atuar no gol.

Guardiola ficou radiante com a contribuição do lateral-direito com a luvas, e disse que ele foi escolhido por sua velocidade e coragem.

"Eu não sei agora", disse, sobre a lesão de Ederson.

"É um problema muscular. Era um risco, então tiramos ele, já que ele sentiu no fim do primeiro tempo. Ainda não sabemos."

"Nos últimos 15 minutos, tivemos uma situação com o novo goleiro que temos no clube e foi difícil".

"Kyle foi sugerido por causa de sua coragem e porque ele é rápido. Parabéns a ele por ter ajudado o time nessa situação."

Uma mudança inesperada no curso das coisas transformou os últimos 10 minutos em puro nervosismo para o City.

"Nós fomos bem no primeiro tempo, estivemos incríveis. Mas com os problemas que tivemos na segunda etapa, sofremos."

"No segundo tempo, não jogamos como queríamos. Mas é normal e acontece no futebol."