A desilusão para Cláudio Bravo na final da Copa das Confederações, após a derrota da tarde de ontem, frente à Alemanha, numa partida que se disputou em São Petersburgo.

Foi o segundo encontro entre La Roja e a Die Mannschaft na competição (na fase de grupos as duas equipas empataram a uma bola), e desta vez a vitória sorriu ao conjunto de Joachim Low, que desta forma garantiu o primeiro triunfo na Copa das Confederações, troféu que faltava na vitrina dos alemães, e que catapultou a Alemanha para o primeiro para a primeira posição do Ranking Mundial da FIFA.

Lars Stindl foi o autor do único gol da partida, aos 20 minutos, após erro crucial de Marcelo Diaz, que ao não ver Timo Werner, acabou por perder a bola e deixar  desesperadamente exposto ao dois contra um. Foi um erro de principiante por parte do defesa chileno, que anulou por completo o começo fantástico da sua equipe.

Cláudio Bravo, que acabaria por levar para casa o prémio de Luva de Ouro da FIFA para a Copa das Confederações (que premeia o melhor goleiro do torneio), vinha moralizado após a exibição que culminou com os três penaltis parados contra Portugal, e não desapontou na partida contra os alemães. De destacar nesta partida a parada que fez ao remate de Julian Draxler naquele que teria sido sem dúvidas um enorme gol.

Apesar do esforço no segundo tempo por parte do Chile, os sul americanos não conseguiram chegar ao golo que obrigaria o jogo a ir a um prolongamento.

Ainda no domingo, mas numa partida que se disputou mais cedo, Bernardo Silva e Portugal, haviam assegurado o último lugar do pódio na competição, ao bater o México por 2-1, em Moscovo.